Publicado em

Stone Age

Há um tempo atrás, na era Mezozoica da computação pré internet, arrumei o jogo Age of Empires, nesse jogo, começávamos uma civilização desde a origem das primeiras sociedades e conduzíamos os homens da pedra para sobrevivência e estrategicamente para evolução da sua sociedade, o jogo nos fascinou tanto que cheguei a sair mais cedo de um evento com minha esposa, pois o que conversávamos eram as estratégias para fazer a civilização crescer.

images-2 Essa sensação de fazer uma civilização crescer do zero voltou com Stone Age, neste jogo, cada jogador tem uma tribo em suas mãos e deve alocar seus componentes para garantir o sustento deles através da comida, mas também buscar o progresso de sua tribo com inovações que podem ajudar seu dia a dia de trabalho.

A base do jogo é o que se chama “Alocação de trabalhadores”, cada jogador deve alocar seus recursos pensando no melhor resultado para garantir sua subsistência e, ao mesmo tempo, promover o progresso de sua organização. Um jogo desse estilo é tão rico quanto mais alternativas de alocação apresenta a cada jogador, e Stone Age se mostra muito interessante à medida que apresenta diversas alternativas de subsistência e progresso a cada jogador. A lição é muito clara, quando você avança no conhecimento da Agricultura a alimentação da tribo será definitivamente menos custosa desse turno para frente, se você conta com uma ferramenta, você conseguirá resultados da extração de materiais de forma mais fácil. É um jogo bastante estratégico que também conta com dados, um trabalhador images-3a mais que você aloca na floresta, é um dado a mais que você vai contar, e o resultado do dia está sujeito à arbitrariedade dos dados como os dias ruins e bons que todos nós já temos.

Cada turno tem três fases: a primeira onde cada um coloca ordenadamente seus jogadores em cada região do terreno, a segunda que é quando cada trabalhador retorna a sua tribo com o resultado do trabalho e a terceira que é quando tem-se que avaliar o que tem e o que se conseguiu e suprir sua tribo com alimentação.

O jogo parece meio complexo quando se vê um tabuleiro principal e outros individuais para cada tribo, mas a medida que o jogo se desenrola, o grupo passa a assimilar rapidamente o andamento do jogo, as jogadas são simples, mas o jogo pega gosto à medida que cada um começa a enxergar estas várias alternativas para progredir sua tribo.

Enfim, é um jogo visualmente muito bonito, apresenta um quebra cabeça muito interessante de alternativas para progredir sua tribo e dá momentos muito divertidos para se imaginar como sua família se sairia em uma época tão primitiva.

Deixe uma resposta